sábado, 29 de setembro de 2012

Sou péssima em número...

... mas não devo ser a única...

Uns falam em mais de 300 mil!
Outros em 23 hectares!
Há quem diga 120 mil!
100 mil...
Vá, perto de 100 mil!
Bom...89mil...
...bem, pelo menos 30 mil estavam, porque houve "alguém" (o organizador da coisa) que pagou 600 autocarros (com dinheiro dos contribuintes, óbvio) para trazer gente de todo o país. Valha-nos isso.

Eu até vi fotografias, mas desde que existe photoshop, que não acredito muito em fotografias - e depois de ter visto as câmaras de televisão a sobrevoar o momento, muito menos (e até acho que alguns dos "números" estavam nas esplanadas e às compras na baixa).

O sucesso! Diz ele...

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Uniformes? Sim ou Não.


Com o inicio do ano lectivo algumas questões colocam-se. O uso ou não do uniforme escolar, nas escolas não privadas, é eterna. No Novo Estatuto do Aluno, nos deveres dos ditos, a indumentária vem mencionada. Na minha escola - que dirijo - em tempos falou-se nisso, mas trinta mil argumentos contra foram dados, principalmente da parte dos professores (??!!) - na altura eu ainda nao estava lá. Hoje falou-se na escola da minha filha e, mais do que falado, decidiu-se (também ela uma IPSS). Eu concordo. Serei só eu?

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Jean “Macedo” LaFontaine



Domingo marcado pela fantástica adaptação de contos à realidade social e política portuguesa. Mas que criativa esta nova forma de argumentação, recorrendo à força persuasiva das fábulas para crianças! Enfim, eu cá senti-me profundamente inspirado por estes recursos estéticos no envio de recados à população que não deixei a oportunidade para também fazer uma adaptação de LaFontaine.



Um membro do governo a sede matava nas águas limpas de um regato. Eis que se avista o povo que por lá passava em forçado jejum, aventureiro inato. E lhe diz irritado:
- Que ousadia a tua, de turvar, em pleno dia, a água que bebo! Hei-de castigar-te!
- Povo, permiti-me um aparte —diz o carreirista assustado — Vede: Estou matando a sede com água a jusante, bem uns vinte passos adiante de onde vos encontrais. Assim, por conseguinte, para mim seria impossível cometer tão grosseira ousadia..
- Mas turvas. E, ainda mais horrível, foi que falaste mal de mim no ano passado.
- Mas como poderia — pergunta assustado o humilde servidor do Estado — se eu nem estava a exercer funções nessa altura?
- Ah, não? Então deve ter sido certamente um teu “irmão”.
- Peço-vos perdão mais uma vez. Mas deve ser engano, pois eu não tenho mano.
- Então, algum parente. Teus tios, teus pais... Teus padrinhos na política. Cordeiros, cães, pastores, vós não me poupais; Por isso, hei-de vingar-me.
E o leva até o recesso da mata, onde o esquarteja e come sem pensar duas vezes.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Geografia (muito) Básica de Portugal


Em plena reentré letiva, aqui fica a 1ª lição de Geo-estigma-grafia de Portugal! Bons estudos...



Jogar pelo Seguro


Quando ela diz que joga sempre pelo seguro, fico com a certeza que não estamos a falar de política. 

sábado, 15 de setembro de 2012

Genius...

Políticos e ex-políticos "colam-se" à manifestação de hoje. Não perceberam ainda que foram e são parte da contestação e do problema...

A propósito de hoje



A propósito da últimas sondagens... É para ter muito medo desta manifestação inconsequente. Já agora, espero que ao menos seja pacífica, um modo de passar o sábado à tarde, e que não partam nada alheio e de propriedade privada, já que a mesma vem acabar à minha porta (se virem alguém a atirar ovos à janela, sou eu!). Bom sábado!

Selecção Musical

Aqui partilho e recomendo, a música que passa cá por casa quase em exclusivo!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Boyismo

Com 50% de desconto, desempenho todas as funções descritas e ainda ofereço as aulas de dicção. A oferta apenas é válida para políticos da Beira Alta.

É a vida pá!


Acordar, levar a pequena D. (família!!) ao berçário, vir almoçar a casa e encontrar um biberão na mesa da sala. Tudo isto me leva a pensar que o sentido da vida é muito simples... o que hoje é simples ironia amanhã será tirania.

Gabriela Cravo e Canela

Quando é ele que vê, e não ela, há qualquer coisa de estranho. Se o PM fosse esperto, em vez de anunciar as medidas antes do Jogo de Futebol, anunciava antes da Novela, certamente teria passado um pouco mais despercebido.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Crise

O Verão/Outono de 2012 ficará na minha história como sinónimo de crise. Em três meses, dois baptizados. Vejo o meu orçamento, para copos, reduzir e a pressão familiar, para putos, aumentar. O Gaspar que não me venha com tretas, esta é a minha crise e ainda estou longe da meia-idade! 

Senhora!

Sempre gostei dela (ai o meu cavaquismo), se ela tivesse ganho em vez do estaferno  Engº Sócrates, agora podíamos ser uma Alemanha (a única com contas positivas em crescimento nesta Europa tão grande). Parece que hoje foi a matar! Eu cá não sei, pois, cá em casa, já cortámos com a televisão (diz que é a crise).

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Depois de 6ª

 Aos meus amigos da Sonae e EDP...
Eu vou emigrar (era bom, se pudesse, mas nem isso)...resta-me entregar a casa à banca (mas já lá fui e não me aceitam)...

Detesto as segundas-feiras mas esta foi particularmente difícil de digerir.

Será que com estas contribuições para a Segurança Social...


Irei ter uma reforma de luxo?!?!?!...

domingo, 9 de setembro de 2012

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Uma questão de raça

     Esta notícia afirma que há por aí gente a tentar passar a perna às pessoas de etnia cigana.
     Que os distingue e, na hora de arrendar a casita das férias, exige cauções que podem ir aos 10.000€.
     A SOS Racismo fala em discriminação...
    Como isto é um blog público e, para não arranjar muita confusão dada a minha singela opinião, deixo apenas a questão?

Se fosse a sua casa, arrendava?

Vox populi


Em dia de incêndio: - "No tempo de Salazar isto não acontecia!". Na realidade, para a geração dos nossos avós, no tempo de Salazar, pouca coisa acontecia.

Terça Negra



Ontem, em Viseu, por volta das 17h, o sol estava assim

Uma carta ao Burundi

É com agrado e ao mesmo tempo espanto que ao verificar a secção de visualizações do nosso blog por país há poucas semanas, me deparo com a presença de um cidadão do Burundi. Bem sei que poderá ser um representante de um scam relativo a um príncipe nigeriano que precisa de uma conta bancária no ocidente e, em troca do favor de emprestar a sua, promete uns trocados generosos. Ao fim ao cabo, e sem criar polémicas, esta ainda é a versão ocidental para explicar a existência de um cidadão africano que esteja atrás de um qualquer computador com ligação à Internet…
Mas e se a verdadeira explicação por detrás deste ilustre cidadão burundiano se prende com a sua interminável sede pela leitura de blogs na língua de Camões que mostrem a situação nacional e internacional sem preconceitos? Se é esse o caso, caro senhor do Burundi, seja bem-vindo ao nosso mundo e espero que encontre algo que vá ao encontro dos seus interesses. Ora vejamos, tal como o seu país foi entregue aos alemães em 1885 na Conferência de Berlim, o nosso também já o foi apenas com a diferença de um século e de uma forma menos autoritária. Se continuam com rivalidades entre hutus e tutsis, então haveria de ver o que é por frente a frente um governo decadente com um líder esbanjador de uma região autónoma. E mais, se o seu país é considerado actualmente o mais pobre do continente africano, então acredite… O nosso para lá caminha, somente com a diferença de ser uns quantos quilómetros mais a norte…
P.S: Caro burundiano, espero que sejam razões mais que suficientes para aderir com maior frequência ao nosso humilde blog ou pelo menos verificar o quão semelhante somos. A fraca possibilidade de cairmos em trapaças básicas em conjunção com os filtros anti-spam existentes hoje em dia irão evitar tropeçarmos nessa praga de contos do vigário vindos de África, pelo que se pretende dar apenas uma espreitadela naquilo que melhor sabemos fazer será de uma alegria enorme!

Obrigado Burundi!

Cheira a fumo


MF, solidariedade da malta cá mais abaixo.
Aliás, com todos os que combatem ou assistem.

Não entendo como alguém é capaz de atear um fogo e ver casas a arder, pessoas desalojadas, o pânico, mortes, terras queimadas, colheitas perdidas... um sem fim de coisas más. Cheira a fumo quando acordo de manhã, cheira a fumo quando me deito e nem sequer é aqui perto.

Não é o país que temos, é a falta de pessoas com bom senso e humanidade.

sábado, 1 de setembro de 2012

Maçon das Beiras


Avental (obrigatório), calhamaço de Aristóteles (sou um pensador), chinelo rosa (very fashion). Caros maçons, não só me junto ao desfile, como me candidato a Grão-Mestre!

Que se lixe a troika, isto é róque enrole



O coliseu estava cheio, a banda em fogo, a noite transformou-se num blunderbuss em tons de azul. Malta, brunch às 15h no Pão de Canela?